19 Bancos Mundiais afirmam ter exposições à criptoativos

  • Analistas afirmam que número crescente de criptoativos na carteira de clientes pode mudar o futuro do setor financeiro
  • Bancos mostram que aquisição do Bitcoin e Ethereum são de 88% do total de criptomoedas
  • 19 bancos mundiais foram estudados pelo BIS e informam ter exposições a criptoativos

Bancos informaram ter exposições a criptoativos no final do ano de 2021. As principais moedas na carteira são, de longe, bitcoin e ethereum, mas em menor quantidade aparecem também outras como Polkadot e Cardano.

Um total de 19 bancos mundiais foram estudados pelo, BIS, Banco de Compensações Internacionais, os bancos afirmam ter cerca de cerca de 9,4 bilhões de euros. O levantamento faz parte do acompanhamento da exposição de riscos do sistema financeiro global.

Expansão de criptoativos pode mudar significativamente o setor financeiro

Jerome Powell, presidente do Federal Reserve, afirma que o inverno cripto mostra que, finanças descentralizadas ainda não são significativas para o setor financeiro tradicional.

No entanto, especialistas afirma que com a expansão de criptoativos nas carteiras dos clientes, isso pode mudar no futuro.

19 bancos mundiais foram estudados pelo BIS e informam ter exposições a criptoativos

No Brasil, um dos bancos que já trabalham com criptomoedas é o Itaú. O banco ofereceu ETFs e fundos em 2021 e o BTG Pactual tem tokens com lastro em imóveis.

O Banco de Compensações Internacionais, traz um alerta para o fato das instituições fornecerem os dados voluntariamente. Não se sabe se todos classificam criptoativos da mesma forma. Assim, dão uma visão geral do cenário, as que deve ser vista com a devida cautela.

Bancos já trabalham com diversas criptomoedas

De acordo com o bancos, a exposição a bitcoin é de 31% e a ether é de 22%. A exposição com base em produtos nessas suas criptos é de 25% em bitcoin e de 10% em ethereum. Isso significa que bitcoin responde por 56% do total, enquanto ether por 32%. Juntas, têm então 88% do total.

Outras moedas principais como Polkadot, Ripple XRP, Cardano Ada, Solana, Litecoin e Stellar, também aparecem na lista, porém em uma menor proporção. Eles também declararam ter a stablecoin USDC, do consórcio Centre, que a Coinbase e a Circle criaram. E há também pequenas quantidades de tokens

Os criptoativos se encontram em três grupos principais dentro dos bancos:

1- Com 50,2% de participação é o de serviços como os de custódia, carteira digital e seguros para criptoativos e de facilitação de atividades dos clientes com criptoativos.

2- Com 45,7%, é o de clearing e serviços para clientes como trading, clearing de derivativos e futuros de criptoativos, transações com base em títulos financeiros, underwriting de lançamento de criptos e tokens financeiros.

3- Com os restantes 4,2% de participação,  é o grupo de manutenção, empréstimos, investimentos e emissão de criptoativos com lastro nos ativos que aparecem nos balanços dos bancos.

Confira outras notícias:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *