Andreas Antonopoulos: atualização BIP-199 pode matar o Bitcoin

A próxima atualização prevista para o bitcoin é a BIP-199. e, de acordo com Andreas Antonopoulos, ela poderia matar o ativo digital. 

Isso porque ela vem com uma promessa muito obscura. 

Com o soft fork virá novos casos de uso para a rede Bitcoin adicionando um tipo de “Covenant”.

Aqui está o problema

Covenant é semelhante ao que é conhecido como contrato inteligente no blockchain Ethereum (ETH). 

Através dele os usuários poderiam impor condições  sobre como as moedas BTC dentro de uma carteira podem ser transferidas no futuro.

O Covenant veio com o intuito de  trazer mais programabilidade ao bitcoin, permitindo que os programadores controlem como os bitcoins podem ser gastos no futuro.

Sendo assim, seria possível colocar na lista branca ou na lista negra determinados endereços, restringindo onde o BTC pode ser gasto mesmo para a pessoa que tem a chave desses bitcoins.

Ou seja, mata a descentralização do bitcoin. 

Conforme observado por Antonopoulos,  a proposta poderia “matar” o Bitcoin se trouxer suporte para convênios recursivos. 

O termo recursivo é utilizado quando um programador não apenas limita a próxima transação, mas também a que veio antes e assim sucessivamente. 

Impacto para o bitcoin

Ao utilizar um pacto recursivo, um programador poderia limitar a lista de endereços para onde o BTC poderia ser enviado no futuro. 

Dessa forma, aquele BTC específico deixaria de ser fungível e se tornaria distinto de outros bitcoins que podem ser enviados a todos.

Isso criaria uma nova categoria de bitcoins.

Além disso, quando os usuários têm a capacidade de colocar certas carteiras na lista negra, há uma alta probabilidade de que governos e reguladores interfiram e comecem a banir alguns endereços. 

“E então você terminará essencialmente com o PayPal , só que não muito escalável… É assim que você mata o Bitcoin”, aponta  Antonopoulos. 

O que podemos esperar?

A BIP-199 está pronta e Jeremy Rubin, desenvolvedor de Bitcoin que realizou a proposta, pediu que a atualização fosse implementada através do rápido processo de teste.

Dessa maneira, os mineradores teriam três ou quatro meses para sinalizar apoio à proposta. 

Durante esse período, se mais de 95% dos mineradores votarem a favor da proposta, ela será ativada.

Rubin listou uma série de razões pelas quais ele acha que a proposta é valiosa e deve ser aprovada de forma ligeira. 

Entre as vantagens mais notáveis, segundo o desenvolvedor, a BIP-119 melhoraria a programabilidade do Bitcoin, permitindo que os pagamentos fossem agendados para uma data específica ou várias datas.

Mas a resposta não depende apenas dos mineradores. Ela precisa do apoio maciço de usuários, desenvolvedores, carteiras e exchanges

Caso ela seja aprovada sem o apoio maior, a atualização pode resultar em um hard fork. Ou seja, a criação de uma nova criptomoeda.  

Leia também: Conheça os detalhes da atualização da ponte Cardano-Ethereum

Kamoney
A forma mais prática de utilizar suas criptomoedas no dia a dia. Acesse agora https://www.kamoney.com.br

Um comentário em “Andreas Antonopoulos: atualização BIP-199 pode matar o Bitcoin

  • 30 de abril de 2022 em 19:35
    Permalink

    Essa proposta já faz 5 anos.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *