Bitcoin é superado como principal criptomoeda utilizada em doações

Sem dúvidas, 2021 foi um excelente ano para a cripto filantropia. Embora seja um mercado não regulado, o mercado blockchain se interessou em praticar doações no último ano. 

De acordo com o relatório do The Giving Block, o volume total de doações no ano passado disparou para mais de US$69,44 milhões.

Isso representa um aumento de 1.558% em relação a 2020.

Os dados do estudo vieram da captação de recursos de mais de 1.000 instituições de caridade que aceitam doações de criptomoedas através do The Giving Block.

A empresa de doações relatou que as contribuições subiram cerca de US$10.455, representando um aumento de 236%, se compararmos com o ano anterior. 

Além disso, o volume de doações cresceu durante cada trimestre de 2021. 

Bitcoin é superado

The Giving Block informou que o bitcoin foi destronado como a principal criptomoeda para doações. 

O ativo digital perdeu espaço para o Ethereum, segundo maior ativo digital. 

“Pela primeira vez, o Ethereum foi a criptomoeda mais doada em 2021, totalizando US$30,79 milhões em volume de doações via The Giving Block”.

O BTC teve cerca de US$25,88 milhões em volume de doações. 

As stablecoins atreladas ao dólar USDC e DAI foram o terceiro e quarto criptoativos mais doados no ano passado, com cerca de US$4,7 milhões e US$2,2 milhões em volume, respectivamente.

Até mesmo o setor NFT ganhou espaço nessa arena. Mais de US$12 milhões em volume de doações utilizando os tokens não fungíveis foram vistas em 2021. 

Leia também: Baleias do Ethereum estão comprando token fora do radar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *