Brasil Santander lançará serviços de criptomoedas

O braço brasileiro do gigante bancário espanhol,  Banco Santander (Brasil), revelou seu interesse em oferecer serviços relacionados a criptomoedas a seus clientes. Nesse sentido, a instituição financeira fica mais próxima de players, como BTG Pactual e Nubank, que já estão fazendo seu nome nesse movimento. 

De acordo com Mario Leão, CEO do Brasil Santander, o serviço que será exposto aos mais de 9 milhões de clientes da casa financeira poderá levar alguns meses para se tornar ativo. 

“Esperamos nos próximos meses ter definições sobre isso, quem sabe na próxima divulgação dos resultados trimestrais, ou até antes”. 

Leão, que também é um grande defensor dos ativos blockchain, disse que o bitcoin e as altcoins vieram para ficar. Sendo assim, a oferta não é porque rivais do banco já estão atuando no cenário, mas porque o Santander Brasil não pretende deixar seus usuários fora desse mundo inovador.  

“Reconhecemos que é um mercado que veio para ficar, e não necessariamente uma reação ao posicionamento dos concorrentes. É simplesmente uma visão de que nosso cliente tem demanda por esse tipo de ativo, então temos que encontrar a forma mais correta e educativa de fazer isso”. 

Grandes bancos e criptomoedas no Brasil

Antes de vermos os passos dados pelo Santander, o Nubank, maior banco digital da América Latina, decidiu começar a fazer seu nome no mercado de criptomoedas, oferecendo compras de criptoativos em seu aplicativo. Como resultado, o banco digital se tornou a segunda maior corretora de criptomoedas no Brasil, perdendo espaço apenas para a Mercado Bitcoin. 

Além disso, a XP Inc, corretora líder do mercado brasileiro, divulgou que lançará uma bolsa de ativos digitais chamada XTAGE, que permitirá que investidores possam negociar inicialmente bitcoin e Ethereum. 

Sem dúvidas, os caminhos escolhidos por empresas tradicionais estão ligados ao crescimento da adoção das criptomoedas em solo brasileiro. Só para exemplificar, a exchange de criptomoeda Gemini realizou uma pesquisa onde informou que o Brasil é líder global na adoção de criptoativos, dividindo a primeira posição com a Indonésia. 

A Gemini apontou que 41% dos brasileiros pesquisados ​​admitiram possuir bitcoin ou altcoins.

Não podemos deixar de mencionar o Rio de Janeiro. 

A cidade turística tem um prefeito que demonstra muito interesse no setor. No início de 2022, por exemplo, Eduardo Paes anunciou intenções de alocar 1% do Tesouro da cidade em bitcoin e transformar o Rio em um centro global de ativos digitais:

“O Rio de Janeiro tem tudo para se tornar a capital tecnológica da América do Sul. Eventos como o Rio Innovation Week vêm para fortalecer a imagem da cidade como o lugar perfeito para trabalhar, viver e inovar.”

Leia também: Solana abre loja física em Nova York

Kamoney
A forma mais prática de utilizar suas criptomoedas no dia a dia. Acesse agora https://www.kamoney.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *