Chainlink lança novo whitepaper. Veja o que mudou

Na última quinta-feira (15/04), a Chainlink lançou um novo whitepaper. Ele veio com um modelo de expansão para novos horizontes. Além disso, trouxe uma criação de redes oráculos descentralizadas de próxima geração. Como resultado, a Chainlink iria generalizar seu oracle em uma “meta-layer” de rede descentralizada.

 

A arquitetura 2.0 da Chainlink pretende expandir seu conjunto de serviços para outros cálculos de dados fora da cadeia. Em suma, os oráculos computacionais criarão uma classe de “contratos inteligentes híbridos” onde parte da lógica é transferido para eles. Outro ponto que devemos mencionar é que a Chainlink irá generalizar e estender suas habilidades de computação.

 

“A extensão aqui está realmente no fato de que você pode colocar um executável arbitrário em uma rede oracle para que ele rode isso. E isso expande muito o que uma rede Oracle pode fazer”.

 

De acordo com Sergey Nazarov, co-fundador da Chainlink, os novos oráculos focarão especificamente em funções que mesmo as soluções de camada dois são incapazes de executar. Sem dúvida, esse é um grande passo porque define o que as pessoas podem construir.

 

“As redes Oracle vão muito além de fornecer dados altamente validados, elas fornecem vários serviços descentralizados que são combinados com contratos inteligentes para criar resultados no mundo real. Esses contratos híbridos inteligentes já estão redefinindo nossa indústria como DeFi”.

 

Contratos híbridos inteligentes são novidade no mercado de criptoativos?

 

Embora esse seja um passo importante para a Chainlink, ela não será a primeira a entrar nessa arena. Só para exemplificar, a Paxos já implementou essa forma de contratos inteligentes. Conforme observado pelo cofundador da Chainlink, ela não está reinventando a roda, substituindo os blockchain existentes e muito menos outras soluções de camada dois.

 

O que o protocolo visa é trazer uma solução flexível e personalizável que pode computar dados. Além disso, qualquer usuário pode escolher o mecanismo de consenso e o nó que deseja operar.

 

“A rede Chainlink é um conjunto configurável de validadores que podem ser configurados para fazer o que você quiser. […] Não é um blockchain. Eles não fornecem o estado e todas as garantias de um blockchain, mas podem fornecer todos os outros tipos de computação que você deseja configurá-los para fazer”.

 

Leia também: Monero a US$300 e sua briga com a MobileCoin

Kamoney
A forma mais prática de utilizar suas criptomoedas no dia a dia. Acesse agora https://www.kamoney.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *