Hashrate do Bitcoin caindo. Isso é motivo para pânico?

Enquanto ainda sentimos o entusiasmo do halving do Bitcoin, vemos o criptoativo sendo negociado acima de US$9.000. O processo de redução que diminuiu a recompensa dos mineradores para 6,25 BTC por bloco trouxe um grande impacto no hashrate do aplicativo. De acordo com os dados de Ethan Vera, da Luxor Mining Pool, o recuo do poder de computação empregado para minerar o Bitcoin foi de 20%.

Todavia, essa movimentação do mercado não é motivo para pânico, pois ela já era esperada. Além disso, teremos que aguardar pelo menos uma semana para saber o real impacto do halving no hashrate do criptoativo. Segundo Jan Č apek, co-fundador da Slush, esse momento era previsto porque o hardware de última geração se tornou inútil. Logo após a entrada de máquinas mais potentes, é natural que o hashrate aumente novamente.

Embora a rede tenha jogado para fora mineradores menos eficientes, eles poderão voltar logo. A correção virá quando a dificuldade do Bitcoin se ajustar nos próximos dias. A saber, sempre que o hashrate diminui, a dificuldade cai também trazendo os mineradores antigos e até novos para o sistema. Dessa forma, a mineração do Bitcoin fica mais descentralizada. Kristy-Leigh Minehan, diretora de tecnologia da Core Scientific, afirmou, em uma entrevista, que logo após as fazendas atualizarem seus equipamentos, os ganhos serão constantes.

Outro fator que pode influenciar na mineração do BTC, é o preço do criptoativo. De acordo com Pavel Moravec, da Slush, se o preço do Bitcoin cair significativamente “o espaço de mineração sofrerá uma redefinição mais drástica após o halving”. Todavia, se o criptoativo conseguir chegar a US$10.000, como está caminhando atualmente, a recuperação do hashrate poderá ser vista em junho.

Perspectivas para o preço do Bitcoin

O criptoativo rei tem mostrado uma reversão impressionante nos primeiros dias após o halving. Só para exemplificar, conseguiu um ganho de 20% na baixa de US$8.100 observada no último domingo. Embora ganhos acima de US$10.000 ainda pareçam improváveis, a marca não pode ser descartada, pois o BTC alocado em exchanges está diminuindo. A média de sete dias dos depósitos nas corretoras caiu para pontos não vistos desde maio de 2018. Ou seja, um sentimento mais positivo pode estar finalmente voltando com força para o mercado.

Kamoney
A forma mais prática de utilizar suas criptomoedas no dia a dia. Acesse agora https://www.kamoney.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *