Holders: Bitcoin vs Ethereum

Em contrapartida com o que muitos acreditaram, o hype do halving passou sem fazer grandes mudanças no preço do Bitcoin. Contudo, o que chamou a atenção do mercado é que a acumulação do criptoativo pelos hodlers aumentou muito nas semanas que antecederam a redução pela metade. Enquanto 12 de março viu o grande crash de 2020 até agora, ele também observou uma caída enorme do câmbio de BTC.

Todavia, apesar do aumento de preço, essa tendência cresceu logo após o halving do criptoativo. O Bitcoin alocado em exchanges está diminuindo. Só para exemplificar, a média de sete dias dos depósitos nas corretoras caiu para pontos não vistos desde maio de 2019.

De acordo com Cetris Paribus, as corretoras perderam de seus saldos 300.000 BTC desde o último incidente em março. A BitMEX, por exemplo, viu uma retirada de 100.000 BTC. Isso é quase um terço de sua reserva. Ademais, Huobi e Bitfinex observaram um comportamento parecido em seus saldos. Com um fluxo líquido diminuído das exchanges, o sentimento positivo em relação ao Bitcoin pode estar voltando com força para o mercado.

Outros motivos que podem estar influenciando esse aumento do holding do ativo digital são as narrativas de o BTC ser um porto seguro em momentos de crises e o medo de ataques hacks. Certamente o receio é natural, pois com a pandemia do novo coronavírus e uma possível recessão, o Bitcoin ganha força como um hedge de proteção. Sendo assim, o ativo digital chama muito a atenção de criminosos que enxergam as exchanges como locais rápidos e mais fáceis de serem atacados.

Como o Ethereum tem se comportado nesse momento

O Ethereum, maior altcoin do mercado, tem ido na total contramão do criptoativo rei. Logo após a derrocada de março, o balanço de ETH nas corretoras cresceram. As exchanges viram um saldo de câmbio de 132.000 ETH. Ou seja, a altcoin está sendo acumulada em níveis que não foram enxergados anteriormente.

De acordo com Cetris Paribus, isso é uma sinalização de um mercado otimista para o BTC, mas um Bear Market para o Ethereum. Ao pedir aos usuários do Twitter outras interpretações, ele recebeu um comentário que dizia que o Bitcoin está sendo armazenado, pois, pode trazer valor ao longo prazo. O Ethereum, por outro lado, está nas exchanges porque pode ser utilizado para trade com as demais altcoins com mais facilidade, visto que está praticamente em todas as corretoras de criptoativos.

Em suma, esse comportamento dos ativos digitais mostra como eles estão se distanciando. No início de 2020, o Ethereum observou uma alta que não foi vista no Bitcoin. De acordo com o Skew, o preço do ETH frente ao BTC encolheu para 2,1%. Ou seja, o menor valor em um mês. Os criptoativos referências no mercado estão caminhando por lados opostos e isso pode mostrar um Ethereum cada vez mais dominante entre as altcoins enquanto o Bitcoin se consolida como um hedge de proteção.

Kamoney
A forma mais prática de utilizar suas criptomoedas no dia a dia. Acesse agora https://www.kamoney.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *