Monero a US$300 e sua briga com a MobileCoin

De acordo com os dados do CoinMarketCap, o Monero teve uma alta de 30% em abril. Todavia, não foi só no início desse trimestre que a altcoin demonstrou altas. Apesar de o foco do mercado de criptoativos estar no DeFi e NFT, muitos ainda buscam ativos de anonimato para suas transações. Sendo assim, o Monero não ficou apagado. Enquanto experimentou uma alta de 59% em fevereiro, observou outro aumento em março ao crescer 12% no mês.

 

No momento da escrita do artigo, o criptoativo está sendo negociado a US$328.15. Esse é um grande marco, pois é a primeira vez em três anos que a altcoin experimenta níveis acima de US$300. O próximo alvo para o Monero é US$375 e US$300, que já foi uma resistência, se torna o novo suporte.

 

Monero e a Polêmica do MobileCoin

 

MobileCoin é um ativo digital que usa Ring Confidential Transactions (RingCT) para manter sua privacidade e o Stellar Consensus para facilitação de bloqueios rápidos. De acordo com Josh Goldbard, presidente-executivo do grupo, a MobilleCoin é o único criptoativo que protege o anonimato e consegue ser rápido.

 

Além das afirmações de Goldbard enfrentarem críticas, outra polêmica surgiu entre a altcoin e o Monero. A equipe do projeto afirma que ele implementou o modelo de anel do CryptoNote para realizar suas transações privadas. Todavia, Riccardo Spagni, mantenedor do Monero, afirma que a MobileCoin está utilizando o código do Monero sem reconhecer sua fonte.

 

“A MobileCoin afirma ser baseado no CryptoNote, mas não é. É baseado no Monero… não tenho certeza por que não há crédito a quem o crédito pertence?”

 

Spagni afirma que os recursos utilizados pela MobileCoin, como RingCT, subaddresses e bulletproof, foram vistos primeiro no Monero. Como era imaginado, a equipe da MobileCoin desmentiu as acusações e ainda afirmou que o Monero tem a pior base de código.

 

MobileCoin e sua centralização

 

Não é só a equipe do Monero quem critica a altcoin. Peter Todd da Coinkite apontou que o modelo de consenso do criptoativo é baseado em tecnologias centralizadas, como Intel SGX, Stellar Consensus Protocol e Amazon S3.

 

“Colocar um consenso no Intel SGX impossibilita a existência de uma segunda equipe de desenvolvimento – a menos que você execute os binários oficiais, você não está na MobileCoin”.

Leia também: Mercado de criptomoedas supera a empresa mais valiosa do mundo

Kamoney
A forma mais prática de utilizar suas criptomoedas no dia a dia. Acesse agora https://www.kamoney.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *