Será mesmo que o bitcoin chegou ao fundo do poço?

De acordo com CryptoQuant, o bitcoin pode estar em um ponto de inflexão. A  empresa de análise de criptoativos acredita que o ativo digital  pode estar próximo de um nível em que uma nova queda no preço é improvável.

“A duração média da retirada da criptomoeda pode indicar que o BTC está perto de onde a maioria das retiradas costumam parar”.

Ou seja, a queda do criptoativo de US$52.000 para US$46.000 está no limite de onde a maioria dos saques param. 

Além disso, o BTC gastou 68% do tempo variando entre 40% e 85% de seu máximo histórico. Isso significa um  período típico gasto por um ativo em uma redução máxima global. 

Essa faixa é, segundo a CryptoQuant, o nível mais alto de perda incorrido desde o momento em que o valor do ativo diminui do máximo histórico até o fundo, antes que um novo máximo histórico seja alcançado.

Conforme observado pela empresa,  a oferta de stablecoins nas corretoras está aumentando após a queda recente. Dessa forma, as baleias podem estar se preparando para acumulação. 

Baleias vão acabar com a queda?

“Por último, mas não menos importante, nossa proporção média de 30 dias de baleias por hora, mostra uma tendência de queda, indicando que a pressão de venda está reduzindo desde 2 de janeiro de 2022”, apontou a CryptoQuant.

Sendo assim, podemos esperar uma nova ATH para o bitcoin em breve na visao da CryptoQuant . 

Contudo, é importante lembrar da cautela. Afinal, o BTC está sendo negociado abaixo de US$43.000, no momento da escrita do artigo. 

Leia também: Goldman Sachs revela condição para o bitcoin chegar a US$100.000

 

 

Kamoney
A forma mais prática de utilizar suas criptomoedas no dia a dia. Acesse agora https://www.kamoney.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *