Venezuela busca as criptomoedas para melhorar suas condições econômicas!

junte-se a revolução smartcash

 

É de conhecimento da maioria das pessoas a situação econômica desastrosa que a Venezuela enfrenta nos últimos anos. De acordo com a reportagem do El País, o PIB (Produto Interno Bruto) venezuelano recuou mais de 50% desde 2013, época em que o atual presidente, Nicolas Maduro, foi eleito.

A mesma reportagem indica que a inflação registrada pelo Banco Central Venezuelano (BCV) registrado no ano de 2018 foi de 130.060%. Apesar dessas informações serem oficiais, há controvérsias, pois não há credibilidade sobre esses dados (uma vez que o BCV não publicava os indicadores econômicos desde 2015). Estudos independentes estimam que a inflação chegará a 10.000.000% no final de 2019.

Com uma situação extremamente caótica, o governo venezuelano pensa em adotar o modelo de criptomoedas para melhorar as condições de inflação do seu país. De acordo com a reportagem do The Block, em breve a Venezuela ativará um método de pagamento via criptomoedas.

O método permitirá novos instrumentos para “pagamentos nacionais e internacionais gratuitos, permitindo que todos realizem transações bancárias”, disse Maduro em uma entrevista coletiva na televisão, conforme divulgado pela Bloomberg nessa terça-feira.

“O ministro das Finanças e o banco central da Venezuela têm novos instrumentos que ativaremos muito em breve para que todos possam realizar transações bancárias, bem como pagamentos nacionais e internacionais através das contas do banco central. A Venezuela está trabalhando no mundo das criptomoedas”, afirmou Maduro.

Na semana passada, houve relatos de que o banco central da Venezuela estava explorando a adição de criptomoedas, especificamente bitcoin (BTC) e éter (ETH), às suas reservas internacionais. Os esforços vêm a pedido da estatal Petroleos de Venezuela AS (PDVSA), que está enviando Bitcoin e Ethereum ao banco central e tem a autoridade monetária para pagar aos fornecedores da companhia de petróleo por tokens, disseram quatro pessoas com conhecimento do assunto.

“O uso de criptomoeda pelo regime mostra desespero”, disse Juan Guaido, da oposição, que é reconhecido por mais de 50 países como líder legítimo, em uma entrevista coletiva anterior.“Recorrer a esse tipo de subterfúgio enfatiza a crise econômica pela qual o regime está passando”.

Sendo um subterfúgio ou não, a verdade é que a situação necessita de ações incisivas para melhorar o desempenho da economia e diminuir de maneira acintosa a hiperinflação que assola todo o território Venezuelano. Como referência, o custo de vida no mês de abril/2019 aumentou 44,7% e no acumulado do ano até maio chegou ao valor de 605,6%. Em função desses dados, A ONU estima que 3,3 milhões de pessoas já deixaram o país desde 2016.

Para justificar tamanho desastre, Nicolas Maduro continua afirmando que toda essa situação está acontecendo em função das sanções financeiras que os EUA estão impondo a Venezuela. “Donald Trump e suas sanções estão impedindo a Venezuela de realizar transações em qualquer um dos bancos do mundo”, disse Maduro.“Existem outras fórmulas a pagar, e é isso que estamos usando, porque nosso sistema de pagamentos funciona perfeitamente na China e na Rússia.”

Se esse novo sistema de pagamento funcionará em uma economia devastada, só mesmo o tempo irá dizer. A grande verdade é que somente com isso, não há como a economia venezuelana sair totalmente da crise que vive. Maduro e todas as pessoas que fazem parte do seu governo precisará pensar em mais alternativas para tirar o caos em que a Venezuela se encontra atualmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *